POR QUE DEVO ME CONFESSAR?

Devo confessar-me para reconciliar-me com Deus e tornar-me digno / digna de receber a graça santificante!

Francisca Freire da Costa
publicado em 14/03/2020 11:52

POR QUE DEVO ME CONFESSAR?

Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. (Romanos 10:9)

Em João 20,21-23, está escrito que Jesus falou para os seus doze apóstolos assim: "Paz seja com vocês! Assim como o Pai me enviou, eu os envio". Em seguida, soprou sobre eles e acrescentou: "Recebam o Espírito Santo. Se perdoarem os pecados de alguém, estarão perdoados; se não os perdoarem, não estarão perdoados".

Vê-se, então, que o Sacramento da Confissão ou Penitência não foi uma invenção de papa, de bispo ou de padre; foi instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo. Assim, é na Bíblia que encontramos a perfeita argumentação que nos leva, como cristãos católicos e pecadores, a buscarmos a reconciliação com Deus, a nos tornarmos dignos de receber a graça santificante.

No mundo de hoje, mesmo nós que somos engajados nos serviços da Igreja ou que somos católicos praticantes ou “mais ou menos praticantes”, precisamos estar atentos à frase de São Paulo: “tudo me é permitido, mas nem tudo me convém” (I Cor 6,12), mais ainda, quando Deus nos criou, ele nos deu livre-arbítrio, ou seja, o poder de escolha, porém, isso não significa que devemos nos moldar totalmente às coisas do mundo e caminharmos em sentido contrário ao que nos leva a Deus, até o ponto de, pelo pecado, desfigurarmo-nos da Imagem e Semelhança de Deus.

Mas, se nos afastamos de Deus pelos pecados cometidos, o Pai, na sua infinita misericórdia, dá-nos a possibilidade de fazermos um caminho inverso. Esse caminho é através do Sacramento da Confissão. Nas palavras do papa Francisco, o Sacramento da Confissão “é o sinal eficaz que Jesus deixou à Igreja para que a porta da casa do Pai permanecesse sempre aberta, sendo assim sempre possível o retorno dos homens a Ele”.

Por que devo me confessar? Porque devo restabelecer o meu crédito diante de Deus. Se é vergonhoso ser inadimplente perante os homens, mais ainda o é diante do Senhor. O profeta Daniel falou assim: “A ti, Senhor, convém a justiça; e a nós, ter vergonha”. Sim, ter vergonha! Precisamos ter vergonha do pecado porque esse sentir nos leva a um exame de consciência mais verdadeiro. No meu entender de pecadora e humilde leitora do assunto, a nossa reconciliação com Deus tem início no momento em que examinamos a nossa consciência e ficamos abatidos pela prática de ofensas a Deus. Bate um arrependimento, uma vontade de voltar no tempo para fazer tudo diferente. Como diz o papa Francisco, devemos pedir a Deus: “a graça da vergonha: de ter vergonha dos nossos pecados. Que o Senhor conceda a todos nós essa graça”.

A graça da vergonha (arrependimento sincero) e o firme propósito de tudo fazer para não pecar mais, para ter outra postura diante da vida, para, na verdade, sempre estar em busca da conversão ajudar-nos-ão a vivenciar o Sacramento da Penitência de maneira libertadora. E quando isso acontece o nosso coração sente paz e o nosso espírito alegra-se! Confessemo-nos!


É necessário fazer o login para postar comentários.