QUARESMA, CAMINHO PARA CELEBRAR A RESSURREIÇÃO DE CRISTO

Estamos entrando no período quaresmal

Francisca Freire
publicado em 21/02/2020 22:19

Ao vivenciarmos a QUARTA-FEIRA DE CINZAS, estamos entrando no período quaresmal. Este dia por si só já sintetiza toda a Quaresma através da Liturgia e dos gestos que o diferenciam de outros. “Recorda-te que és pó e em pó te hás de tornar”.

Muitos de nós achamos que, para agradar a Deus e, às vezes, até ao padre, devemos ficar tristes, carrancudos e calados neste período de quarenta dias, até alcançarmos a Páscoa do Senhor. Não! Nada disso! A Quaresma, desde sempre, é um tempo de renovação da nossa própria vida, é um tempo de CONVERSÃO. E nada se renova com tristeza, mas, sim, com alegria, disposição e amparando-se em práticas que nos são apontadas pela própria Igreja, ou seja, em três pontos que compõem o tripé da vivência da Quaresma: a caridade, a penitência e a oração.

+CARIDADE - na essência, a caridade é um ato de amor, porém se praticada conforme esta passagem bíblica: “Não deixes sua mão esquerda saber o que faz a direita”. A esmola é caridade, mas o que dá sentido à esmola “é o olhar que oferecemos, antes da ajuda material que podemos dar a quem precisa”; é a experiência de sermos tocados por aquilo que vive o outro: “sua história, seu sofrimento, sua esperança”.

+PENITÊNCIA e ORAÇÃO – estas são fontes de conversão do nosso coração porque nos ajudam a vencer as fraquezas que existem em nós: orgulho, paixões, egoísmo, avareza, ambição, ganância, a não aceitação de atitudes com as quais não concordamos e tantas outras. Penitência sugere arrependimento, que, juntos, não “são caminho de tristeza, de depressão, mas caminho de luz e de alegria, porque, se nos levam a reconhecer a nossa verdade de pecadores, também nos abrem ao amor e à misericórdia de Deus”.

+JEJUM – não significa simplesmente passar fome. Mero equívoco! Jejuar com ressentimento no coração, certamente, não tem valia. Jejuar por jejuar não tem sentido. O jejum importante para a conversão, acredito que seja aquele revestido de uma atitude espiritual, que faça bem ao corpo e à alma. Além da privação ou diminuição do alimento, há outros modos de jejuar, talvez até mais eficazes para a nossa conversão: evitar o olhar de inveja, de luxúria, de censura; calar as palavras inúteis ou prejudiciais que magoam o outro/outra; evitar o consumismo exagerado; controlar a vaidade e o sentimento de poder por assumir algum posto, por exemplo, a coordenação de uma pastoral.

Atentemos para uma verdade neste tempo quaresmal, neste itinerário de fé: a oração juntamente com o jejum/penitência e a esmola/caridade tornam a nossa experiência espiritual muito mais sólida.

Nós, cristãos católicos, expressão tão em voga nos dias atuais, precisamos ter consciência do quanto a Quaresma nos propicia uma renovação em nossas vidas.


É necessário fazer o login para postar comentários.