MARIA MÃE DE DEUS E RAINHA DA PAZ

Ela é um sinal visível da paz almejada pelo o Senhor

Pe Francisco de Assis
publicado em 30/12/2019 13:48

No último e no primeiro dia do ano, dentro da oitava de Natal, a nossa Igreja paroquial nos convida, apoiados pela virtude da esperança, renovar nossa confiança em uma sociedade mais justa, mais humana e que se determine para continuar lutando contra as desordens que ferem a dignidade da pessoa, imagem e semelhança de Deus. Por isso, reza-se, de maneira particular, pela paz e nos oferece Maria como protótipo e portadora de um mundo mais solidário e pacífico. Poderíamos dizer que Maria é um canal de comunhão e de unidade nos corações humanos. Ela é um sinal visível da paz almejada pelo o Senhor nosso Deus quando, em seu seio, nos trouxe o príncipe da reconciliação: “pois era Deus que em Cristo reconciliava o mundo consigo [...]” (2 Cor. 5,19). Ela é Rainha da Paz.

O santo Evangelho de Lucas em suas primeiras páginas nos propõe a contemplação da paz interior que carregava Maria de Nazaré, a Mãe de Jesus e nossa. É evidente que durante os dias em que «deu à luz o seu filho primogênito» (Lc 2,7), sem dúvida Maria teve de afrontar muitos acontecimentos imprevistos: não somente do nascimento do Filho, mas antes a árdua e longa viagem de Nazaré à Belém; como também, o não encontrar um lugar no alojamento; a procura de um abrigo improvisado no meio da noite; e depois o cântico dos anjos, a visita inesperada dos pastores e dos Reis magos. Como nos esquecer da fuga para o Egito e do retorno para Israel para salvar o menino Deus. (Mt. 2, 13-15.19-23). Diante de tantos fatos e movimentos ali estava Maria firme e sem desanimar seguia guardando tudo em seu coração.

Esta é a paz interior que deveremos ter em meio aos acontecimentos às vezes tumultuosos e confusos da história, acontecimentos cujo sentido muitas vezes não conseguimos compreender e que nos deixam abalados. “Há nações inteiras que não conseguem libertar-se das cadeias de exploração e corrupção que alimentam ódios e violências. Há muitos homens e mulheres, crianças e idosos, ainda hoje se nega a dignidade, a integridade física, a liberdade – incluindo a liberdade religiosa –, a solidariedade comunitária, a esperança no futuro. Inúmeras vítimas inocentes carregam sobre si o tormento da humilhação e da exclusão, do luto e da injustiça, se não mesmo os traumas resultantes da opressão sistemática contra o seu povo e os seus entes queridos”. (Mensagem do Papa Francisco para a celebração do dia mundial da paz. Vaticano, 8 de dezembro de 2019). Diante destes cenários e tantos outros, não percamos a esperança da unidade e da paz. Maria é autêntica promotora da paz. Ela nos trouxe a paz encarnada e nos capacitou de tê-la em nossas mãos como sacramento de unidade (Eucaristia). Jesus é o príncipe da paz. Por isso, sem desanimar, continuemos lutando pela comunhão e harmonia em nossa sociedade.

Com os sinceros votos de um ano cheio de paz e saúde, desejo a todos um feliz 2020 e o auxílio constante da Rainha da Paz. Deus vos abençoe! Pax vobis!

Pe. Francisco de Assis da Silva Pároco


É necessário fazer o login para postar comentários.