JESUS NASCEU EM NÓS!

Ele veio ao nosso encontro, fez-se próximo e caminha conosco. “Glória a Deus nas Alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade!”

Francisca Freire da Costa
publicado em 25/12/2019 17:07, atualizado em: 03/01/2020 16:57

JESUS NASCEU EM NÓS!

Ele chegou, humilde e poderoso, para habitar entre nós. Ele veio ao nosso encontro, fez-se próximo e caminha conosco.

Todos conhecemos a história do nascimento de Jesus. Onde? Quando? Há divergências! Não importa. Confirmando as palavras do profeta, Ele veio com toda a sua glória para a salvação do mundo. A espera e esperança alimentadas no Advento tornam-se realidade. Porém, como não se sabe ao certo o dia em que Jesus nasceu, é escolhida, então, pela Igreja, a partir do século IV, a data de 25 de dezembro para comemorarmos o Natal do Senhor, o nascimento da figura mais importante do Cristianismo.

Adentramos, portanto, nesta Celebração, o segundo ciclo ou tempo do Calendário Litúrgico, o NATAL, cujo período é compreendido por cinco grandes festas: Natividade (Natal), celebração principal de todo o ciclo natalino; Sagrada Família; Santa Maria Mãe de Deus; Epifania; e, fechando o tempo Natalino, o Batismo do Senhor. Ao celebrar essas festas, a Igreja não está simplesmente comemorando o aniversário do Menino Jesus. Não, não é isso! O que ela (Igreja) faz, na verdade, é mostrar-nos a “força do Espírito Santo, a graça da vinda do Cristo!”. Ela traz a Manifestação do Filho de Deus, ocorrida no passado, para os dias atuais, tornando-a presente em nossa vida!

Tudo isso é tão verdadeiro que a Liturgia do NATAL não diz: “Há dois mil anos nasceu Jesus”! Diz sim, conforme consta da Antífona de Entrada da Missa da Noite do Natal: “Alegremo-nos todos no Senhor: hoje nasceu o Salvador do mundo, desceu do céu a verdadeira paz!”.

Hoje, nesta Solenidade do Natal do Senhor, contemplamos na pobreza da gruta de Belém, aparentemente, uma criança frágil, no entanto, ali está “Aquele que é o Forte e eterno Deus”. Conforme disse Isaías (9,5): “Porque um Menino nos nasceu, um filho nos foi dado, Ele recebeu o poder sobre os Seus ombros e Lhe foi dado este Nome: Conselheiro-maravilhoso, Deus-forte, Pai-eterno, Príncipe-da-Paz”. Neste acontecimento tão santo, nós, que somos a Igreja, juntamo-nos a Maria, a José e aos pastores, dobramos nossos joelhos diante do Salvador e, com muita alegria cantamos “Glória a Deus nas alturas”!

Todavia, há de se ter clareza de que o sentido do NATAL vai muito além de um presépio e de um canto de glória. O verdadeiro sentido do natal é o nascimento de Cristo em nossos corações, é a aceitação de Jesus em nós, é o nosso nascer de novo para uma vida em Cristo. O NATAL é um mistério sobre o qual Paulo disse: “Eu vivo, mas já não sou eu quem vive, é Cristo que vive em mim” (Gálatas 2:20). É um mistério que transcende a compreensão humana. Deus, na sua grandiosa humildade e generoso amor, une a natureza divina à natureza humana em uma só pessoa, “a pessoa do Verbo Encarnado (Cf. Jo 1,14). Para quê? Para tornar realidade, de modo pleno, único, absoluto, completo e definitivo, tudo quanto Ele sonhou para nós!

Que neste NATAL, Maria interceda para que Aquele a quem ela deu à luz nasça no coração de cada ser humano, fortalecendo os laços da identidade cristã em família e que todos nós irmanados possamos dizer: “Glória a Deus nas Alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade!”.


É necessário fazer o login para postar comentários.