ADVENTO: “TEMPO DE ESPERA E ESPERANÇA”

Espera Daquele que vem para ser início, meio e fim!

Francisca Freire da Costa
publicado em 30/11/2019 17:31, atualizado em: 03/01/2020 16:56

Iniciamos mais um Tempo Litúrgico (ANO “A”): ADVENTO, que significa ‘vinda’, ‘chegada’! Chegada de Deus ao mundo! A partir deste domingo, teremos, exatamente, quatro semanas antes do Natal. Este tempo de espera e esperança estender-se-á até as primeiras vésperas do Natal de Jesus. Mesmo havendo este lapso temporal, já se inicia a presença de Deus entre nós, por conseguinte, inicia-se o mistério da redenção. É uma presença que começou, mas não foi concluída, mesmo assim, tem o poder de dispersar a escuridão do mundo e também dos nossos corações, provendo-nos de uma serena claridade.

Durante o ADVENTO, amparados pela ‘oração e a vivência da esperança cristã”, é mister darmos um mergulho interior, continuando a faxina iniciada na Festa de Cristo Rei, a fim de estarmos preparados para um achegamento recíproco. Nós vamos nos achegando, pouco a pouco, Àquele que vem para ser início, meio e fim. E, “atentos e vigilantes” como nos ensina o Evangelho (Mt 24,37-44), “vamos tecendo a colcha das alegrias do Cristo que vem ao nosso encontro”. Todavia, não devemos levar a efeito esta aproximação de qualquer jeito, precisamos estar arrumadas e arrumados como "uma noiva para o seu noivo”. Havemos de nos trajar com as vestes da conversão e enfeitar-nos com adornos que muito satisfarão ao noivo: perdão; discernimento; compaixão; reconciliação; sem, contudo, ser conivente com o mal feito, com a ofensa ao Sagrado; alegria, humildade, consciência da obrigação de devolução do dízimo, disposição para o serviço da Igreja e, sobretudo, a sabedoria do viver em comunidade. Pensemos nisto: “Se o jardim do coração estiver sendo cuidado, as sementes da esperança vão germinar no tempo que lhes cabe, e o Amor nascerá nas alegrias da chegada”.

Normalmente, os dias que antecedem uma grande festa para receber alguém muito importante revestem-se de uma bela simbologia, assim o é o ADVENTO, que se nos apresenta na cor roxa, não para significar penitência, mas, sim, contrição, serenidade e um recolhimento que alimenta uma esperança, respaldada pela justiça e pela verdade, ressaltando a tão grande alegria que é estar na expectativa da vinda do Senhor. Se nos falta, busquemos a clareza na luz da vela verde, a primeira do ADVENTO, a ser acesa neste domingo!


É necessário fazer o login para postar comentários.